Celular clonado: Entenda o golpe de invasão

De acordo com algumas pesquisas, o Brasil é o país com maior taxa envolvendo golpes através de celulares clonados, onde 87% das pessoas se identificaram como vítimas desse crime.

Muitas vezes essas ações ocorrem sem a própria percepção do usuário, no qual, geram muitas dúvidas como: não saber como detectar esse tipo de golpe e caso aconteça, não saber quais medidas tomar.

Por isso, nesse post vamos te explicar como funciona a clonagem, quais as medidas que devem ser tomadas para evitar esse problema e como agir caso aconteça com você.

Como funciona a clonagem, na prática.

A clonagem no aparelho é quando alguém consegue usar a sua linha para fazer ligações e as cobranças continuarem sendo direcionadas para você. Infelizmente é um ato muito fácil de fazer.

O golpe funciona com o uso de tecnologias ilegais de monitoramento da seguinte maneira. Confira:

Primeiro: todos os telefones possuem uma combinação de códigos iguais do aparelho e do assinante.  

Segundo: toda vez que o celular é ligado, essa combinação é enviada para uma rede autenticação.

Terceiro: os criminosos utilizam aparelhos como scanners de frequência para interceptar essa comunicação e assim conectar os códigos para outro aparelho. 

Após esses 3 passos, o criminoso passa a receber todas as ligações e mensagens de textos que são destinadas a ela. Através disso, ele consegue ter acesso à recuperação de senhas em apps de bancos tradicionais e digitais. Obtendo oportunidade de resgatar o dinheiro do usuário ou até mesmo realizar outras transações. 

Muitas vezes as instituições bancárias podem não identificar o acesso clonado e nem mesmo a própria operadora, pois é como se houvesse somente um acesso. 

Prevenção contra esse tipo de ataque.

Para prevenir é importante estar atento e saber as soluções possíveis para que isso não aconteça, confira como: 

Primeiro: veja a fatura do seu celular com sua operadora. Você poderá visualizar os detalhes de todos os serviços contratados e utilizados e vai poder identificar se algum valor estiver fora do comum. Por isso, tome cuidado e faça essa checagem sempre.

Segundo: atualize sempre que possível as senhas do seu celular e apps. Tenha uma biometria em aplicativos, como whatsapp, se o seu celular permitir. 

Terceiro: se for comprar um aparelho usado, tenha certeza de que ele não foi roubado. 

Meu telefone foi clonado, o que faço? 

Aprenda o que fazer se o seu telefone for clonado seguindo essas recomendações: 

Os padrões PIN das operadoras são sempre: Vivo (8486); TIM (1010); Claro (3636); e Oi (8888). No entanto, o primeiro passo é alterar essas informações em seu celular acessando: configurações > segurança > encontre a opção “Configurar bloqueio do SIM” e ative a função “Bloquear cartão SIM”. 

Para finalizar, será solicitado o código PIN padrão, caso tenha mudado, você pode encontrar a opção “alterar o PIN” no seu smartphone, realize a alteração. 

Se caso durante o processo você precise informar o número PUK, entre em contato com a central de atendimento da sua operadora, explique a situação. Assim eles podem auxiliar e te passar instruções do que fazer.